Bem-Vindos à AdCL
800 
     23 23 30

Coimbra

Infraestruturas
Investimentos
Acionistas

Infraestruturas

ABASTECIMENTO DE ÁGUA

A exploração “em alta” do Serviço de Abastecimento de Água no concelho de Coimbra é da responsabilidade da Águas do Centro Litoral.

A AdCL capta e trata na estação de Tratamento de Água (ETA) da Boavista e entrega uma água em qualidade e quantidade, através de 23 reservatórios e 43 pontos de entrega, às empresas em “baixa” para distribuir aos consumidores (em Coimbra é a Águas de Coimbra a empresa responsável pela distribuição).

ETA da Boavista

O Subsistema de Abastecimento de Água da Boavista engloba sete empreitadas: Complexo da Boavista (ETA da Boavista e captações); Extensão ao Sector Nascente; e os Sistemas Adutores Norte, Sul, Central 1, Central 2 e Nascente 2, num investimento total de cerca de 50 milhões de euros, co-financiado em 53% pelo Fundo de Coesão da União Europeia.

Este Subsistema envolveu a reconstrução da ETA da Boavista, e vem reforçar a garantia de abastecimento de água em qualidade e quantidade através de 37 reservatórios, 13 estações elevatórias e 145 km de condutas.

O Subsistema de Abastecimento de Água da Boavista serve os municípios de Coimbra, Condeixa-a-Nova, Lousã, Mealhada, Miranda-do-Corvo e Penela.

Complexo da Boavista e Extensão ao Sector Nascente (Lote A)

Este Lote A serve os municípios de Coimbra, Miranda do Corvo, Mealhada, Condeixa-a-Nova, Lousã e Penela. O projeto previu a construção de infraestruturas de modo a servir uma população de 250 mil habitantes, com capacidade para tratar 1,5 m3 de água por segundo (129.600 m3/dia).

Entre as várias infraestruturas a construir, esteve a nova ETA da Boavista, um Reservatório de 15 mil m3 (Reservatório da Boavista), duas Estações Elevatórias e 6 km de condutas adutoras.

O valor deste projeto ascendeu aos 15 milhões de euros, e foi cofinanciado pelo Fundo de Coesão da União Europeia em 53%.

Complexo da Boavista e Extensão ao Sector Nascente (Lote B)

Este Lote B serve os municípios de Miranda do Corvo e as freguesias de Ceira e Torres do Mondego (Município de Coimbra). Inclui duas Estações Elevatórias, cinco Reservatórios e 20 km de condutas adutoras, desde o Pinhal de Marrocos (Coimbra) até ao município de Miranda do Corvo. Estas infraestruturas permitem servir 25 mil pessoas.

O valor deste projeto representou cerca de 8,5 milhões de euros, cofinanciado pelo Fundo de Coesão da União Europeia em 53%.

Sistema Adutor da Boavista - Sector Sul

Este Sistema vem servir as freguesias de Assafarge, Antanhol, Castelo Viegas, Almalaguês, Cernache (município de Coimbra) e o município de Condeixa-A-Nova.

Este sistema inclui 22 km de condutas e equipamento afim desde o Reservatório da Copeira (Coimbra) até cerca do extremo Sudoeste do município de Condeixa (Ega).

O valor deste projeto ascendeu os 6,3 milhões de euros, cofinanciado pelo Fundo de Coesão da União Europeia em 53%.

Sistema Adutor da Boavista - Sector Norte

Este Sistema do Sector Norte permite abastecer as freguesias de S. João do Campo, S. Silvestre, S. Martinho de Árvore, Antuzede, Stª Cruz, Eiras, Torre de Vilela, Brasfemes, Trouxemil, Souselas e Botão (município de Coimbra) e o município da Mealhada.

O Sistema Adutor da Boavista – Sector Norte incluiu a construção de 33,2 km de condutas adutoras e equipamento afim desde Casa do Sal (Coimbra) até ao município da Mealhada.

O valor deste projeto ascendeu os 6,6 milhões de euros, cofinanciado pelo Fundo de Coesão da União Europeia em 53%.

Sistema Adutor da Boavista - Central 2

Este Sistema serve as freguesias de S. António dos Olivais, Santa Clara, S. Martinho do Bispo, Taveiro, Ribeira de Frades, Ameal, Arzila, do município de Coimbra.

O Sistema Adutor da Boavista - Central 2, cujo investimento ascendeu os  2 milhões de euros, incluiu a execução de duas condutas adutoras de quase 4 km, uma que liga o designado Nó 5 ao Reservatório da Copeira, cujo comprimento é de 1,8km, e outra que liga o designado Nó 7 ao Reservatório de Chão do Bispo, com um comprimento de 2 km. Além da execução das condutas adutoras, esta empreitada inclui também a reabilitação do Reservatório/Estação Elevatória da Quinta Nova, reabilitação do Reservatório/Estação Elevatória do Vale do Inferno e do Reservatório do Chão do Bispo.

TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS

As águas residuais do município de Coimbra são encaminhados, através de 32 estações elevatórias, e tratadas em 18 estações de tratamento de águas residuais (ETAR), nomeadamente:

ETAR Ameal
ETAR Anagueis
ETAR Andorinha
ETAR Arzila
ETAR Cabouco
ETAR Ceira
ETAR Choupal
ETAR Conraria
ETAR Paúl Arzila
ETAR de Moinhos
ETAR Ribeira de Frades
ETAR S. Frutuoso
ETAR S. Martinho Árvore
ETAR S. Silvestre
ETAR Torres do Mondego
ETAR Vendas de Ceira
ETAR Vil de Matos
ETAR Vila Pouca Cernache

ETAR do Choupal

A ETAR do Choupal é a maior Estação de Tratamento de Águas Residuais em Coimbra, capaz de tratar os efluentes líquidos provenientes da zona Norte e urbana de Coimbra, abrangendo as freguesias de Almedina, Santa Cruz, São Bartolomeu, Sé Nova, Antuzede, Assafarge (parcialmente), Barcouço (parcialmente), Botão, Brasfemes, Castelo Viegas (parcialmente), Ceira (parcialmente), Eiras, Pampilhosa (parcialmente), Santa Clara, Santo António dos Olivais, São Paulo de Frades, São Martinho do Bispo (parcialmente), Souselas, Torre de Vilela e Trouxemil, representando uma população de cerca 213 mil habitantes-equivalentes.

A infraestrutura trata um caudal médio diário de 36 mil m3.

O projeto da ETAR do Choupal foi elaborado no início da década de 70, antes da existência de qualquer legislação específica para o efeito. Inaugurada em 1993, a solução de tratamento da ETAR do Choupal baseia-se num sistema de tratamento por leitos percoladores.

A fase líquida conta com os seguintes órgãos: obra de entrada (três linhas de gradagem grossa e fina, duas linhas de desarenamento e desengorduramento), dois decantadores primários, quatro leitos percoladores e dois decantadores secundários.

A fase sólida é composta por um espessador gravítico, dois biodigestores anaeróbios termófilos, uma centrífuga, sete leitos de secagem e um parque de lamas.

A fase gasosa (produção de biogás) apresenta dois gasómetros de cúpula móvel, um sistema de aquecimento de lamas (2 caldeiras), um sistema de cogeração.

ETAR de Ribeira de Frades

A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Ribeira de Frades serve a freguesia de Taveiro.

Inaugurada em 1998, a ETAR de Ribeira de Frades está preparada para receber os efluentes domésticos de 45 mil habitantes-equivalentes e tratar cerca de 1.700 m3/dia de efluentes líquidos.

A solução de tratamento da ETAR de Ribeira de Frades baseia-se num sistema de tratamento secundário, um tratamento biológico com base no sistema de lamas ativadas, em regime de arejamento prolongado, com remoção da matéria orgânica.

 

Investimentos

Brevemente disponível.

Fique atento às novidades e notícias, subscreva a nossa newsletter
NEWSLETTER
PROJETOS COFINANCIADOS PELA UE:  
© 2020, Águas do Centro Litoral, S.A. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por MAGO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram