CONDICIONAMENTO DE TRÂNSITO | Rotunda do acesso norte do tabuleiro inferior da ponte Açude

Nos próximos dias 06 e 07 de junho, quinta-feira e sexta-feira, a Águas do Centro Litoral (AdCL) inicia os trabalhos de pavimentação no âmbito da empreitada de “Conduta Adutora até ao Açude/Ponte e Emissário do Setor Central I - Troço entre a Estação Nova e o Açude/Ponte”. Estes trabalhos faseados não vão implicar qualquer corte de trânsito, apenas constrangimentos, que vão ser acompanhados pela PSP, junto à rotunda do acesso norte do tabuleiro inferior da ponte Açude/ Avenida Aeminium.

Esta empreitada integrará o Sistema Adutor da Boavista - Sector Central I, no que respeita ao Abastecimento de Água, e o Sistema de Drenagem de Águas Residuais do Choupal, relativamente a Águas Residuais, em Coimbra. Novas infraestruturas que visam o reforço da capacidade de abastecimento de água à Zona Norte e “baixa” da Cidade de Coimbra, bem como o reforço do abastecimento de água ao concelho da Mealhada, no que respeita à componente de abastecimento de água, e visam também a substituição do denominado Intercetor Geral da Cidade, infraestrutura com mais de 60 anos, a qual apresenta um estado e condição deficitário, isto no que respeita à componente de Águas Residuais.

Empreitada de Execução de “Conduta Adutora até ao Açude/Ponte e Emissário do Setor Central I - Troço entre a Estação Nova e o Açude/Ponte”

Esta empreitada envolve um investimento de perto de 1,75 milhões de euros, tem como objetivo a conclusão das infraestruturas dos “sistemas em alta” de Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais, que constituem o designado Sector Central I, em Coimbra, no troço compreendido entre a Estação Nova e a zona do Açude-Ponte, contemplando os seguintes trabalhos:

• Abastecimento de água:

- Instalação de conduta adutora entre a Estação Nova e a zona da Ponte do Açude, numa extensão de cerca de 1,3 km, em ferro fundido dúctil, com um diâmetro DN 700mm;

• Saneamento de águas residuais:

- Instalação de coletor gravítico de ligação entre a o troço de Emissário em execução, junto à Estação Nova e o Emissário existente junto à Ponte do Açude, numa extensão de 1,05 km, em ferro fundido dúctil, com um diâmetro DN 900mm.

Esta empreitada dá continuidade aos trabalhos que nesta data decorrem entre a Praça 25 de Abril e a Estação Nova, no valor de aproximadamente 4,7 milhões de euros, realizada em parceria com a Infraestruturas de Portugal e com a Águas de Coimbra, num Agrupamento de Entidades Adjudicantes, e que inclui o troço inicial da Conduta Adutora e do Emissário e Sistema Elevatório de Águas Residuais.

As duas empreitadas, e respetivas fiscalizações, fazem parte de duas Candidaturas aprovadas pelo POSEUR.

Solicitamos a melhor compreensão pelos incómodos e inconvenientes que esta situação provoca, na certeza de estarmos a contribuir para a melhoria das condições de segurança da infraestrutura e fundamentalmente dos seus utilizadores.

AdCL assinala o Dia Mundial do Ambiente com sensibilização para as boas práticas individuais no saneamento

A pensar no futuro que a todos pertence, a AdCL dinamizou um conjunto de iniciativas para comemorar o Dia Mundial do Ambiente, de 4 a 5 de junho, nos municípios de Porto de Mós e Águeda, envolvendo a participação de cerca de um milhar de crianças em jogos didáticos para o valor do saneamento e sensibilização da #GeraçãoRestauração na adoção de boas práticas individuais.

Na celebração desta efeméride as Nações Unidas definiram como mote “Acelerar a Restauração da Terra, a Resiliência à Seca e o Progresso da Desertificação”. O nosso contributo é a sensibilizar a Geração Restauração para a gestão eficiente do Ciclo Urbano da Água. Juntos, promovemos um futuro mais sustentável para a terra e para a humanidade.

Ambiente, cuidar dele é um dever de todos nós

Reforçando a mensagem de que todos nós fazemos parte da #GeraçãoRestauração, no passado dia 4 de junho, a AdCL marcou presença na Semana da Educação "Sentir Porto de Mós", no Parque Verde, com atividades lúdico-didáticas para as crianças do pré-escolar e 1º ciclo do concelho.

Comunicar para compreender. Agir para mudar!

Brincar, consciencializar e sensibilizar sobre o que não deve ir para o esgoto, aludindo às campanhas “O cano é que paga” e “Cada coisa no seu lugar, e o lixo não é no esgoto”, envolveram centenas de participantes em jogos didáticos promovidos pela AdCL. Estas duas campanhas de sensibilização pretendem esclarecer e educar a população sobre os resíduos sólidos que não podem ser colocados no esgoto.

Dando continuidade à estratégia de reforço da proximidade da AdCL com o público servido, a convite do Municipio de Águeda, a empresa participou no “Roteiro pela Sustentabilidade”, promovido no dia 5 de junho, no Parque de Alta Vila, envolvendo cerca de 150 crianças do pré-escolar numa atividade sensorial.

Através de um jogo da glória alusivo ao valor da água, em especial do saneamento, bem como de uma dinâmica de reconhecimento dos resíduos sólidos que não devem ir para o esgoto, os mais pequenos tiveram a oportunidade de (re)descobrir a essencialidade dos serviços de saneamento assegurados pela AdCL.

Numa visão integrada sobre o dia a dia na ETAR, esta iniciativa permitiu dar a conhecer a problemática da incorreta rejeição dos resíduos sólidos no esgoto, vulgarmente designados por lixo, assim como os demais processos de tratamento a que a água residual é sujeita, permitindo a sua restituição ao meio hídrico, em condições ambientalmente seguras. 

No Dia Mundial do Ambiente e em todos os restantes dias do ano, a Águas do Centro Litoral reforça a necessidade de consciencialização e sensibilização sobre o que não deve ir para o esgoto, assegurando a saúde pública, a proteção do meio ambiente e a preservação dos rios, ribeiras e do mar.

Secretário de Estado do Ambiente preside cerimónia de reabilitação da captação e ETA da Ribeira de Alge

A Águas do Centro Litoral (AdCL), realizou, hoje, a cerimónia de inauguração da reabilitação da captação e estação de tratamento de água (ETA) da Ribeira de Alge, no valor de1,6 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, presidida pelo Secretário de Estado do Ambiente, Emídio Sousa.

A empreitada de reabilitação da captação de água e ETA da Ribeira de Alge teve por objetivo aumentar a resiliência e robustez ao processo de tratamento e também promover uma adequada resposta a possíveis alterações da qualidade da água decorrentes de eventuais fenómenos climáticos extremos (ex. pluviosidade intensa ou lixiviação de cinzas decorrentes de incêndios).

A Águas do Centro Litoral iniciou a exploração do Sistema de abastecimento de água da Ribeira de Alge em janeiro de 2020, tendo, em 2022, registado uma grande redução do volume de água superficial captada da Ribeira de Alge, acompanhando a situação de seca severa que se verificava em todo o território nacional.

Nesse mesmo ano, foi consignada esta intervenção, que contemplava a reabilitação da captação de água da Ribeira de Alge e da Estação de Tratamento de Água, nomeadamente a remodelação dos equipamentos existentes, instrumentação, válvulas, tubagens e acessórios dos diversos órgãos de tratamento que compõem a instalação. Além da beneficiação de outras estruturas e edifícios da ETA, está também incluído nesta empreitada a implementação de uma etapa adicional de coagulação e floculação, melhorando desta forma o tratamento preconizado na instalação.

A empreitada vai traduzir-se numa melhoria substancial no fornecimento de água aos municípios de Ansião, Figueiró dos Vinhos e Penela, representando uma população beneficiada superior a 11 mil habitantes-equivalentes. O montante investido, 1,6 milhões de euros, é cofinanciado em 82%, através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso do Recurso (POSEUR).

Enquadrada na política da AdCL de contínua preservação dos seus instrumentos, esta intervenção dará uma maior resiliência e robustez ao processo de tratamento, permitindo uma adequada resposta a possíveis alterações da qualidade da água decorrentes de possíveis fenómenos climáticos extremos, como pluviosidade intensa ou lixiviação de cinzas decorrentes de incêndios.

O Sistema de Abastecimento da Ribeira de Alge é composto por uma captação na Ribeira de Alge, oito reservatórios, seis estações elevatórias e mais de 50 km de condutas adutoras, a estação de tratamento de água (ETA) da Ribeira Alge tem uma capacidade de tratamento de 3.100 m3/dia.

A água é captada na Ribeira de Alge, com 4 drenos, sendo a água bruta encaminhada para a torre de captação, onde estão instalados dois grupos eletrobomba.

A água é, de seguida, elevada e monitorizada à entrada da ETA (pH e turvação), sendo doseada, nesta fase, com coagulante/floculante e Hidróxido de Cálcio, para correção da agressividade da água.

Após esta etapa, segue-se o processo de decantação, onde a água decantada e posteriormente filtrada, com recurso a filtros de areia.

A água filtrada é, de seguida, armazenada no reservatório da ETA da Ribeira de Alge, onde é feita a desinfeção, com recurso a cloro, e a correção de pH com recurso a Hidróxido de Cálcio.  

No final do processo, a água tratada é elevada para o reservatório do Olival I, para distribuição a todo o sistema de abastecimento da Ribeira de Alge.

AdCL promove dia aberto à ETAR da Zona Industrial da Marinha Grande

A Águas do Centro Litoral(AdCL) e o Município da Marinha Grande convidam todos os interessados a participar na segunda sessão do Dia Aberto às instalações de abastecimento de água do lugar da Estação e à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Zona Industrial de Casal da Lebre, que decorre no dia 30 de maio (feriado), a partir das 10h30.

O programa da visita é o seguinte:

10h30. Visita ao Reservatório de Abastecimento de Água da Estação (Rua Vasco da Gama - Marinha Grande)

11h30 Visita à ETAR - Estação de Tratamento de Águas Residuais da Zona Industrial de Casal da Lebre (Rua de Portugal - Marinha Grande).

A primeira visita no âmbito do Dia Aberto realizou-se no passado sábado, 25 de maio, tendo contado com a presença do presidente da Câmara, Aurélio Ferreira, e do vereador do ambiente, João Brito.

No reservatório de abastecimento de água da Estação, a chefe da Divisão de Águas, Saneamento e Resíduos, Edite Moniz, explicou, de forma sintetizada, como é feito o abastecimento de água à Marinha Grande, desde a captação, tratamento e armazenamento, até à rede de distribuição.

A zona de abastecimento da Estação é composta por 2 furos de captação, um reservatório elevado e dois apoiados. Abastece cerca de 11 200 habitantes, pertencentes às zonas de Casal do Osso, Casal Malta, Embra, Trutas, Amieira, Pêro Neto, Marinha Pequena e Albergaria. Nesta instalação são tratados e fornecidos à população cerca de 1 400m3 de água por dia. 

Evidenciou a qualidade da água abastecida aos munícipes do concelho e esclareceu que a tonalidade acastanhada que, ocasionalmente surge em algumas zonas, está relacionada com a geologia desta zona costeira e nada tem a ver com contaminações que possam colocar em causa o abastecimento de água à população.

O Plano de Controlo de Qualidade da Água é aprovado, anualmente, pela ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos e pela Autoridade de Saúde. Estas entidades, garantem ainda a fiscalização e controlo da correta implementação do plano assim como dos resultados de qualidade da água obtidos. O controlo de qualidade da água começa à boca dos furos de captação e vai sendo acompanhada ao longo da rede até à torneira do consumidor. Os resultados da qualidade da água são públicos e podem ser consultados na página do município.

O abastecimento de água no concelho é da exclusividade do Município da Marinha Grande. O sistema é composto por 11 furos de captação (que captam, na sua totalidade, cerca de 3.623.978 m3/ano), 13 reservatórios, 6 zonas de abastecimento, 6 estações de tratamento (para desinfeção e correção de PH) e 350 km de rede.

Nas instalações da ETAR, a coordenadora de Comunicação, Imagem e Educação Ambiental da AdCL, Lisete Oliveira,  demonstrou como é feito o tratamento das águas residuais, por via de processos naturais com recurso a microrganismos que removem a matéria orgânica, para que a água daí resultante possa ser devolvida ao meio hídrico ou reutilizada para outros fins que não o consumo humano. Em 2023, esta infra-estrutura recebeu uma média diária de 870 m3 de águas residuais, das quais 843 m3 foram reutilizadas internamente, nomeadamente na lavagem de equipamentos e rega.

Alertou, também, para os problemas que acarreta ao processo de tratamento a deposição na rede de saneamento de toalhitas (mesmo as que fazem referência a serem biodegradáveis), cotonetes, cabelos ou óleos. Cada coisa no seu lugar e o lixo não é no esgoto.

O sistema de drenagem de águas residuais domésticas do concelho é composto por cerca de 230 km de coletores e 6 estações elevatórias, sendo o tratamento assegurado pela AdCL.

Executivo de Cantanhede e habitantes das Cochadas visitam a construção da futura ETAR de Cantanhede

A convite da AdCL, o Executivo Municipal de Cantanhede, da Junta Freguesa da Tocha, associações e moradores das Cochadas visitaram a futura ETAR de Cantanhede, no passado dia 12 de abril, acompanhando a evolução da obra, no valor de 9 milhões de euros cofinanciada pelo POSEUR.

A Administração da Água do Centro Litoral (AdCL), na pessoa do seu Presidente, Alexandre Oliveira Tavares, recebeu na obra da futura estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Cantanhede, a Presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio e restantes Executivos; a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Nuno Bravo e Ana Paulo Malo; o Presidente da Junta de Freguesia da Tocha, José Manuel Cruz; a Administração da Inova, Pedro Cardoso e Pedo Castro e ainda associações e moradores das Cochadas.

Esta obra surge da necessidade em solucionar o saneamento nos municípios de Cantanhede e Mira, onde o extenso emissário que recebe os efluentes dos dois municípios e é encaminhado para a ETAR de Ílhavo, onde se registam excesso de caudais. A situação é especialmente crítica no inverno em resultado do enorme volume de efluentes pluviais oriundos das redes municipais que, em conjunto com os efluentes industriais, excedem os volumes do dimensionamento do emissário, resultando em descargas.

“Esta visita pretendeu fazer um acompanhamento desta empreitada crucial para os municípios de Cantanhede e Mira, que está em franco desenvolvimento”, adiantou o Presidente do Conselho de Administração da AdCL. “A AdCL, sempre no Lado certo da História, está empenhada na boa execução da obra, prevendo-se o arranque da ETAR ainda neste 1.º semestre”, conclui Alexandre Oliveira Tavares.

A Presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio, agradeceu a possibilidade desta visita, principalmente porque as pessoas que residem aqui na Tocha e nas Cochadas tiveram a oportunidade de conhecer este investimento extraordinário que a AdCL está a executar no concelho de Cantanhede. “É dos investimentos maiores que se tem feito em Cantanhede, tendo a população ficado sensibilizada e esclarecida sobre esta obra que irá garantir, no futuro, um ambiente melhor no Concelho”, afirmou.

Também o Presidente da Junta da Freguesia da Tocha, José Manuel Cruz, destacou a importância da população das Cochadas, local onde está a ser construída a ETAR, visitar e conhecer a obra que está em curso. “Saem daqui mais tranquilos e esclarecidos, com expetativa que, de facto, esta obra venha resolver alguns problemas de saneamento.”

Já, Nuno Bravo, Administrador da APA, reiterou o facto desta ETAR estar a ser construída com base em pressupostos do licenciamento de abordagem combinada, a forma mais moderna de licenciamento. “Um exemplo desta nova abordagem é a maior exigência no período de Verão. A ETAR de Cantanhede terá o processo de desinfeção final, tendo em conta que a jusante da descarga, há massas de água que podem ser utilizadas para uso balnear como a Lagoa e Barrinha de Mira. É, assim, fundamental que água descarregada chegue em condições para esse uso”, explicou.

A Empreitada de Conceção-Construção da ETAR de Cantanhede, representa um investimento de mais de 9 milhões de euros, cofinanciada pelo POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, e foi consignada, em janeiro de 2023, ao consórcio “Espina & Delfin/ Factor Ambiente”, estando a fiscalização dos trabalhos a cargo da empresa RIOBOCO - Serviços Gerais, Engenharia e Manutenção, S.A.

Além da construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), a AdCL tem, também em fase conclusão a Empreitada de aumento da capacidade das infraestruturas, num valor de 3,7 milhões de euros, igualmente cofinanciado pelo POSEUR, obras que visam reforçar o Sistema de Saneamento da Ria Sul-Aveiro e solucionar o saneamento nos municípios de Mira e Cantanhede.

As duas empreitadas, que representam um valor total de cerca de 12,8 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, incluem a construção da estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Cantanhede e de 1,2 km de emissários de saneamento e ainda o aumento de capacidade das cinco (5) estações elevatórias existentes (Pocariça (CT1); EE Pisão (CT2); EE Catarinões (CT3); EE Taboeira (CT5); EE Casal dos Netos (CT6)).

Jovens Repórteres para o Ambiente visitam a ETAR de Góis

A convite do Municipio de Góis e da ABAEE, a AdCL abriu as portas da ETAR de Góis a um grupo de Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA), no passado dia 2 de abril, permitindo o conhecimento do processo de tratamento de águas residuais.

De máquina fotográfica em punho, prontos para tudo ouvir e aprender, um grupo de Jovens Repórteres para o Ambiente percorreu a ETAR de Góis, conhecendo de perto as diversas etapas de tratamento a que a água residual é sujeita permitindo a sua devolução com qualidade ao rio Ceira.

Inaugurada em 2009, a ETAR de Góis encontra-se dimensionada para receber os efluentes domésticos de cerca de 2.000 habitantes-equivalentes e tratar cerca de 191 m3/dia de efluentes líquidos.

Para onde vai a água depois de a utilizarmos? Como é tratada e quais os seus destinos?

No Lado Certo da História, Sara Fonseca, responsável pela gestão operacional da infraestrutura, apresentou junto dos Jovens Repórteres para o Ambiente os desafios e oportunidades do correto tratamento das águas residuais na ETAR de Góis.

Esta iniciativa permitiu ainda destacar a qualidade da água, para a qual contribui a eficaz gestão de saneamento feita pela Águas do Centro Litoral, um dos fatores que contribuem para a valorização do território, tendo como reflexo a conquista da Bandeira Azul nos espaços balneares do Município de Góis, um símbolo de qualidade e segurança para os banhistas.

Em “missão jornalística” os Jovens Repórteres para o Ambiente recolheram tiveram ainda contacto visual com a problemática da afluência indevida de resíduos no saneamento. Esta foi ainda uma oportunidade para conhecerem o projecto de sensibilização ambiental “O cano é que paga”, uma campanha de comunicação que esclarece a população sobre as consequências da colocação de resíduos sólidos no esgoto, uma problemática de difícil assimilação visto que as consequências desta prática não são visíveis para a maior parte da população.

Pretendeu-se, deste modo, contribuir para a formação de cidadãos conscientes e participantes ativos na defesa e preservação dos valores naturais.

AdCL associa-se à exposição “Recursos Hídricos: História, Sociedade e Saber”

No Lado Certo da História, a Águas do Centro Litoral associou-se ao Município de Albergaria-a-Velha e à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) integrando a exposição “Recursos Hídricos: História, Sociedade e Saber”, inaugurada por ocasião do Dia Mundial da Água, no passado dia 22 de março, encontrando-se em exibição na Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha, de 22 de março a 7 de julho.

As comemorações do Dia Mundial da Água em Albergaria-a-Velha contaram com a presença de José Pimenta Machado, Vice-Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Isabel Damasceno, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, bem como de Sandra Santos, administradora da AdCL, e dos Administradores das Regiões Hidrográficas Inês Andrade (ARH do Norte), Nuno Bravo (ARH do Centro) e Susana Fernandes (ARH do Tejo e Oeste).

Num momento histórico para a AdCL, pautado pela comemoração dos seus 25 anos, iniciados com a constituição da SIMRIA, um projeto que beneficiou logo da associação do município de Albergaria-a-Velha, enquanto utilizador do sistema multimunicipal e acionista da empresa, através desta associação pretende apresentar a essencialidade dos serviços prestados e o trabalho diário dos profissionais da água junto da comunidade.

Com foco no conhecimento do Ciclo Urbano da Água, através desta montra a AdCL expõe uma maquete interativa do Ciclo Urbano da Água bem como a apresentação de filmes alusivos ao funcionamento de uma ETAR - Estação de Tratamento de Águas Residuais, permitindo o conhecimento pormenorizado dos processos e etapas de tratamento de águas residuais.

Esta exposição tem como objetivo mostrar o acervo documental e técnico dos Serviços Hidráulicos, evidenciando a profunda relação entre essa instituição pública e a sociedade em geral em relação à água e ao seu uso, promovendo ainda o conhecimento de diversas peças relacionada com a atividade dos técnicos dos recursos hídricos, nomeadamente, livros, documentos, processos técnicos, arquivos e instrumentos tecnológicos.

Ao longo desta mostra, a AdCL ainda dinamizará o conto de duas obras literárias, entre elas, “Brincar na Água”, para o público infantil, e a “Viagem Inadiável da Água”, permitindo aos adultos o conhecimento da história de cada um dos 30 concelhos servidos pela AdCL, compilando a cumplicidade da sua história com a água e as suas gentes.

O acervo em exposição integrará um maior número de peças do futuro Museu e Arquivo Histórico, tema principal das comemorações do Dia Mundial da Água em Albergaria-a-Velha, permitindo no futuro a realização de visitas ao espaço de depósito do arquivo histórico.

No Lado Certo da História, a Águas do Centro Litoral pretende continuar o seu trabalho essencial, mesmo que invisível ao olhar da comunidade. Importa, no entanto, torná-lo conhecido da comunidade em particular das gerações mais novas, por forma a torná-los cidadãos preparados para concretizar os desafios ambientais, sociais e económicos da sua vida, da região, promovendo um país mais coeso e mais desenvolvido e capaz de lhes assegurar um futuro com mais valor e oportunidades.

Albergaria-a-Velha insere-se no Sistema Norte de Cacia da Águas do Centro Litoral, onde os seus efluentes são encaminhados para a ETAR de Cacia. Em 2023, a ETAR de Cacia recebeu do concelho perto de 1,5 milhões de m3 de efluentes. Estes efluentes são encaminhados através das 4 estações elevatórias, existentes no município, que elevam até à ETAR de Cacia para ser devidamente tratados e devolvidos ao mar.

A nível de investimento, concretizámos no município perto de 10 milhões de euros até à data, comparticipados em 85% pelo Fundo de Coesão.

Nos próximos anos, está previsto um investimento cerca de 12,5 milhões de euros na reabilitação de equipamentos e melhorias diversas na ETAR de Cacia, beneficiando Albergaria-a-Velha desta requalificação, mas sobretudo o meio hídrico, potenciando a economia municipal e da região.

Tabuleiro inferior da ponte Açude reabre a trânsito automóvel

A Águas do Centro Litoral, S.A. (AdCL), informa que será reaberto o trânsito automóvel no tabuleiro inferior da Ponte Açude, bem como o trânsito entre o acesso sul do tabuleiro inferior da ponte Açude e a rotunda de acesso sul do túnel do Choupal (Av. Cidade Aeminium), amanhã, sexta-feira, dia 29 de dezembro de 2023, sem quaisquer restrições.

Esta reabertura foi possível após a conclusão das fases 1 e 2 das Ligações Finais da empreitada de execução de “Conduta Adutora até ao Açude/Ponte e Emissário do Setor Central I – Troço entre a Estação Nova e o Açude/Ponte”, que integrará o Sistema Adutor da Boavista – Sector Central I, no que respeita ao Abastecimento de Água, e o Sistema de Drenagem de Águas Residuais do Choupal, no que respeita a Águas Residuais, em Coimbra.


A fase 3 das Ligações Finais desta empreitada encontra-se prevista para o final do primeiro trimestre de 2024, que implicará alguns constrangimentos de trânsito na zona entre da rotunda de acesso sul do túnel do Choupal (Av. Cidade Aeminium), com trânsito sujeito a demora, devido aos trabalhos em curso, mas sem corte de circulação automóvel.

Esta empreitada cujo investimento ronda os 1,75 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, tem como objetivo a conclusão das infraestruturas dos “sistemas em alta” de abastecimento de água e drenagem de águas residuais, que constituem o designado Sector Central I, em Coimbra, no troço compreendido entre a Estação Nova e a zona do Açude-Ponte, contemplando os seguintes trabalhos:

Abastecimento de água
- Instalação de conduta adutora entre a Estação Nova e a zona da Ponte do Açude, numa extensão de cerca de 1,3 km, em ferro fundido dúctil, com um diâmetro DN 700mm;

Saneamento de águas residuais
- Instalação de coletor gravítico de ligação entre a o troço de Emissário em execução, junto à Estação Nova e o Emissário existente junto à Ponte do Açude, numa extensão de 1,05 km, em ferro fundido dúctil, com um diâmetro DN 900mm.

Obras estas que dão continuidade aos trabalhos que decorrem entre a Praça 25 de Abril e a Estação Nova, no valor de aproximadamente 4,7 milhões de euros, realizada em parceria com a Infraestruturas de Portugal e com a Águas de Coimbra, num Agrupamento de Entidades Adjudicantes, e que inclui o troço inicial da Conduta Adutora e do Emissário e Sistema Elevatório de Águas Residuais.


Estas infraestruturas visam o reforço da capacidade de abastecimento de água à Zona Norte e “baixa” da Cidade de Coimbra, bem como o reforço do abastecimento de água ao concelho da Mealhada, no que respeita à componente de abastecimento de água, e visam também a substituição do denominado Intercetor Geral da Cidade, infraestrutura com mais de 60 anos, a qual apresenta um estado e condição deficitário, isto no que respeita à componente de Águas Residuais.

As duas empreitadas, e respetivas fiscalizações, são objeto de financiamento pelo POSEUR, com uma taxa de comparticipação de 85%.

“Gota de vida” reconhece dedicação dos antigos trabalhadores

A Águas do Centro Litoral (AdCL) reuniu, esta terça-feira, os trabalhadores dos seus três polos – Ria, Mondego e Lis – para realizar o Encontro Anual da empresa. Este evento, interrompido temporariamente devido aos constrangimentos provocados pela pandemia, regressou em grande, tendo como ponto alto a entrega de uma lembrança aos trabalhadores da AdCL que se reformaram.

Em Coimbra, os colegas foram agraciados com uma original peça de artesanato, uma “gota de vida” produzida na “Capital do Vidro”, o concelho da Marinha Grande, pelas mãos do Mestre Alfredo Poeiras, da PoeirasGlass – Estúdio do Vidro.

A produção destas obras de arte foi testemunhada pelo Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, que destacou a qualidade da matéria-prima e o engenho do mestre vidreiro que criou as “gotas de vida”.

No evento, Alexandre Oliveira Tavares, Presidente da AdCL, apresentou a “Gota de Vida”, “um símbolo do esforço e dedicação dos profissionais da água”. “É uma homenagem, mas também um reconhecimento daquilo que foi a dedicação, é uma gota de esforço”, enalteceu o responsável.

Estas peças foram produzidas artesanalmente, com recurso a uma arte cada vez menos frequente naquele território.

O programa do Encontro Anual da AdCL incluiu, ainda, o reconhecimento aos trabalhadores que completaram 15 e 25 anos na Empresa.

AdCL em destaque no maior evento do setor da água

A AdCL - Águas do Centro Litoral encontra-se presente na cidade de Gondomar a participar no maior evento do setor da água realizado em Portugal. O ENEG - Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento arrancou ontem, dia 27 de novembro, no Multiusos de Gondomar, e decorre até esta quinta-feira, num programa que inclui apresentações, mesas redondas, Prémios APDA - Tubos de Ouro, Pipe Contest - Campeonato Nacional de Montagem de Ramais em Carga, visitas técnicas e culturais e a tradicional Exposição.

No primeiro dia do evento, que todos os anos conta com a participação da AdCL, Lisete Oliveira, Coordenadora do Departamento de Comunicação e Educação Ambiental, apresentou a parceria com a organização ColorAdd, aliança que tem permitido tornar o Centro Litoral num território mais inclusivo, nomeadamente para as pessoas com daltonismo.

Também Sandra Jorge, Coordenadora do Centro Operacional AA Leiria/Ansião e I&D, aproveitou a oportunidade para revelar os projetos I&D da Águas do Centro Litoral, sendo que hoje, no segundo dia da iniciativa, abordará o papel dos “Invisíveis”, os trabalhadores do setor cuja missão passa despercebida aos olhos do público.

Ao longo desta terça-feira, o programa do evento conta com alguns painéis de apresentação por parte dos profissionais da água. Miguel Ferreira, do Departamento de Comunicação e Educação Ambiental da AdCL apresenta o projeto Scratch on Road, promovido em parceria com o Centro de Apoio Social de Pais e Amigos da Escola (CASPAE), uma iniciativa de educação ambiental, revelando o sucesso da sua implementação onde se promoveu a simbiose entre a iniciação à programação, com foco no 1º ciclo do ensino básico, e a sensibilização para o saneamento, nomeadamente, no conhecimento dos processos e etapas de tratamento a que a água residual é sujeita bem como a importância das boas práticas individuais associadas.

Joana Vieira, Coordenadora na Direção de Operação de Águas Residuais (DOAR), integra a Comissão Especializada de Águas Residuais da APDA, mais especificamente, no grupo de trabalho alusivo ao Planeamento da Segurança do Saneamento “PSS”, levando a cabo a apresentação de um painel subordinado ao estado atual da implementação do Planeamento da Segurança do Saneamento nas entidades gestoras.

Pedro Pinto, da Direção de Manutenção, integra o Grupo dos Jovens Profissionais da Água, participando nesta iniciativa através da apresentação do Programa de Mentoria JOPA/ APDA – 2ª edição, cujo foco é a valorização do conhecimento e capital humano no setor da água.

No último dia deste evento, Ana Roque e Susana Balsas, ambas afetas à área dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG), na Direção de Engenharia e Gestão de Ativos (DEGA), integram um painel dedicado à transição digital, apresentando assim a tecnologia ao serviço da entidade gestora no que respeita ao apoio à gestão da informação cadastral.

Obras junto à Ponte Açude geram constrangimentos de trânsito automóvel

Constrangimento de trânsito no tabuleiro inferior da ponte Açude

Na próxima segunda-feira, dia 27 de novembro de 2023, a Águas do Centro Litoral, S.A., (AdCL), inicia a fase final de ligações da empreitada de “Conduta Adutora até ao Açude/Ponte e Emissário do Setor Central I - Troço entre a Estação Nova e o Açude/Ponte”, que integrará o Sistema Adutor da Boavista - Sector Central I, no que respeita ao abastecimento de água, e o Sistema de Drenagem de Águas Residuais do Choupal, relativamente ao saneamento, em Coimbra.

Esta fase final de ligações implicará alguns constrangimentos de trânsito faseados, que serão, sempre, devidamente assinalados. A partir do dia 27 de novembro e até ao final do ano, o acesso ao tabuleiro inferior da ponte estará cortado, em ambos os sentidos, à circulação automóvel, devendo optar-se pelo tabuleiro superior da ponte Açude.

Esta empreitada cujo investimento ronda 1,75 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, tem como objetivo a conclusão das infraestruturas dos “sistemas em alta” de abastecimento de água e drenagem de águas residuais, que constituem o designado Sector Central I, em Coimbra, no troço compreendido entre a Estação Nova e a zona do Açude-Ponte, contemplando os seguintes trabalhos:

Abastecimento de água

Saneamento de águas residuais

Obras estas que dão continuidade aos trabalhos que decorrem entre a Praça 25 de Abril e a Estação Nova, no valor de aproximadamente 4,7 milhões de euros, realizada em parceria com a Infraestruturas de Portugal e com a Águas de Coimbra, num Agrupamento de Entidades Adjudicantes, e que inclui o troço inicial da Conduta Adutora e do Emissário e Sistema Elevatório de Águas Residuais.

Estas infraestruturas visam o reforço da capacidade de abastecimento de água à Zona Norte e “baixa” da Cidade de Coimbra, bem como o reforço do abastecimento de água ao concelho da Mealhada, no que respeita à componente de abastecimento de água, e visam também a substituição do denominado Intercetor Geral da Cidade, infraestrutura com mais de 60 anos, a qual apresenta um estado e condição deficitário, isto no que respeita à componente de Águas Residuais.

As duas empreitadas, e respetivas fiscalizações, são objeto de financiamento pelo POSEUR, com uma taxa de comparticipação de 85%.

AdCL diz “presente” na Semana Europeia de Prevenção de Resíduos

A Águas do Centro Litoral associou-se à Semana Europeia de Prevenção de Resíduos (SEPR), que decorre entre os dias 20 e 22 de novembro, no Pavilhão Municipal Multidesportos Mário Mexia, em Coimbra.

Sensibilizar a população para a problemática dos resíduos, em particular a prevenção, com diversas iniciativas, como animações, workshops, e outras atividades sobre uma temática específica relacionada com a prevenção de resíduos foi o objetivo da iniciativa, organizada pela Câmara Municipal de Coimbra e Instituto Politécnico de Coimbra.

O evento é dirigido a todo o público, com especial foco nas crianças do 1.º e 2.º ciclos do concelho de Coimbra, para a adoção de comportamentos que promovam a redução do consumo, contribuindo para a desaceleração das alterações climáticas.

A Águas do Centro Litoral, presente nos três dias da iniciativa, apresentar a invisibilidade dos serviços essenciais assegurados pelos profissionais da água na Gestão Eficiente do Ciclo Urbano da Água, em especial, ao nível do Saneamento. Usar, reutilizar, reciclar e valorizar apresentaram-se como pilares estratégicos numa lógica de sensibilização para o valor da água, dando a conhecer aos demais presentes o papel interventivo da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) na valorização da água residual, alinhado com a economia circular.

Como é hábito, com recurso ao famoso Jogo da Glória, a empresa deu a conhecer os processos de tratamento assegurados na ETAR, numa lógica de economia circular, onde a água é tratada como matéria-prima plena de recursos, introduzindo nos novos ciclos produtivos, nomeadamente, a água residual tratada, as lamas com potencial orgânico ou o biogás para a produção de energia verde.

Refira-se que a Semana Europeia de Prevenção de Resíduos é a maior campanha de sensibilização sobre a prevenção de resíduos na Europa, sendo que o tema deste ano foram as "Embalagens!", tendo o programa contado com diversas atividades e workshops associadas à redução dos resíduos de embalagens.