Grupo Águas de Portugal contribui para o Crescimento Verde


O Grupo Águas de Portugal integra o grupo de 82 entidades que assinou, esta quarta-feira, 22 de abril, o Compromisso para o Crescimento Verde, numa cerimónia presidida pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

O Compromisso para o Crescimento Verde é uma iniciativa do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, que visa estabelecer “as bases para um compromisso em torno de políticas, objetivos e metas que impulsionem um modelo de desenvolvimento capaz de conciliar o indispensável crescimento económico, com um menor consumo de recursos naturais e com a justiça social e a qualidade de vida das populações”.

A estratégia subjacente a este Compromisso passa por fomentar em Portugal um crescimento económico verde com impacte nacional e visibilidade internacional, estimulando as atividades económicas verdes, promovendo a eficiência no uso dos recursos e contribuindo para a sustentabilidade e tendo por objetivos fomentar iniciativas que contribuam para o desenvolvimento sustentável de Portugal, numa lógica de criação de valor assente no binómio economia-ambiente, que promova a competitividade do país e a sua afirmação internacional enquanto referência do crescimento verde mundial.

A aposta em atividades económicas com forte cariz verde, com impacte nacional e/ou internacional, que contribuam para o aumento do PIB e para a criação de emprego, a gestão otimizada de recursos com objetivo de aumentar a produtividade e maximizar a respetiva utilização (por exemplo, eficiência material, eficiência energética, eficiência hídrica, ecodesign, reabilitação urbana) e a dinamização de atividades que permitam a proteção do ambiente, nomeadamente através da redução das emissões de CO2, do aumento da produção da energia renovável, da melhoria da qualidade do ar e da água, e da valorização da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas são os objetivos estratégicos do Compromisso para o Crescimento Verde.

“É incontornável a adesão do Grupo Águas de Portugal ao Compromisso para o Crescimento Verde. Desde logo porque, sendo o maior grupo empresarial a operar no setor do ambiente em Portugal, somos um dos grandes contribuidores para a Economia Verde e para a promoção da qualidade de vida das populações. A política de responsabilidade empresarial do Grupo AdP integra muitos dos compromissos e medidas identificados como prioritários neste Compromisso, as quais procuraremos agora dar ainda maior consistência e implementar respostas ainda mais eficazes para a sua concretização”, salienta Afonso Lobato de Faria, Presidente da Águas de Portugal.

No que respeita à gestão da água, o documento destaca a sua importância para a economia e para a qualidade de vida das populações, realçando a evolução ao nível da cobertura dos serviços e da qualidade e disponibilidade de água de consumo público e também a melhoria ao nível qualidade das águas balneares em Portugal. No que respeita à gestão dos serviços, destaca-se a necessária mudança de paradigma no modelo de gestão do abastecimento de água e tratamento de águas residuais, transitando de um período de vinte anos de infraestruturação para um novo ciclo enfocado na gestão eficiente dos ativos e impulsionando reformas que contribuam para a coesão social e territorial, para a qualidade ambiental e para a sustentabilidade económico-financeira das operações.

É neste contexto que o Compromisso identifica como prioridades a reestruturação do setor das águas sendo um dos seus pilares a reorganização territorial e corporativa do Grupo Águas de Portugal com vista, designadamente, ao aumento da eficiência operacional dos sistemas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais e à redução de custos dos serviços de água e de saneamento.

O Compromisso fixa 13 metas quantificadas para 2020 e 2030, entre as quais aumentar a eficiência hídrica, passando de 35% de água não faturada no total da água colocada na rede, em 2012, para um máximo de 20% em 2030, e melhorar o estado das massas de água, passando de 52% de massas de água nacionais com qualidade “boa ou superior” em 2010 para 100% em 2027.

No que respeita à área dos resíduos, os cenários de Crescimento Verde pressupõem uma permanente evolução da gestão do ciclo de vida dos produtos, através da concretização de processos de redução e valorização de resíduos que, complementados pela inovação e a reindustrialização, possam promover o crescimento económico e gerar novas oportunidades de emprego e de criação de riqueza. A gestão dos resíduos como recursos promotora da economia circular tem sido uma estratégia orientadora das atividades das empresas do Grupo AdP, desde a sensibilização para a sua produção à valorização de todos os subprodutos das atividades, com destaque para a valorização energética, garantindo sempre que o tratamento é efetuado segundo as melhores técnicas disponíveis, de acordo com a hierarquia de resíduos, e que a quantidade de resíduos encaminhada para aterro é tendencialmente decrescente.

O Compromisso para o Crescimento Verde surge na sequência da constituição, em 2014, da Coligação para o Crescimento Verde, liderada pelo MAOTE com o objetivo de congregar esforços de quase uma centena de associações e representantes da área empresarial, científica, financeira, assim como de organismos públicos, fundações e ONG, da qual a AdP faz também parte.

O documento, que tinha sido apresentado em Setembro do ano passado e que esteve em consulta pública até 15 de Janeiro, inclui 83 iniciativas, repartidas por 10 setores: água,  resíduos, reabilitação urbana, eficiência energética e hídrica, emissões de dióxido de carbono, energias renováveis, qualidade do ar e valorização da biodiversidade.

Publicado a: 23 de Junho de 2015